Wonder Women Works

A baixa posição das mulheres com deficiência no mercado de trabalho resulta das deficiências educacionais deste grupo social, que são a base de outras dificuldades no mercado de trabalho. Entretanto, “o trabalho é um valor que permite que o indivíduo participe plenamente da vida social”. Fornece as condições materiais de existência, define o papel e o status dentro da organização social. Deve-se enfatizar que o trabalho, além de sua função económica, também terá muitas outras aplicações sendo uma condição, oportunidade ou meio de alcançar muitas necessidades além da economia existente.

Cada vez mais, no caso de doenças e deficiências, os especialistas enfatizam a importância do trabalho como parte da reabilitação social.

Existem barreiras psicológicas, que consistem na falta de confiança das mulheres com deficiência causada pela sensação de não terem qualificações profissionais suficientes, falta de ou limitada gama de medidas para melhorar as habilidades profissionais e construir uma autoestima positiva.

As mulheres com deficiências físicas são especialmente discriminadas, enfrentam problemas relacionados com a infra-estrutura e a acessibilidade da arquitectura, mas também barreiras relacionadas com a antipatia das pessoas em permanecer num ambiente de com deformidades físicas visíveis.

Nosso objetivo

O principal objetivo deste projeto é apoiar, através da aprendizagem, o desenvolvimento profissional e pessoal de mulheres com deficiência dentro da Europa e fora dela.

Assim, a parceria visa capacitar as mulheres com deficiência em relação às competências empreendedoras e digitais, necessárias para o trabalho de adultos dentro da Europa

Nossos Grupos-Alvo

1. Mulheres empresárias com deficiência dispostas a ajudar outras mulheres com deficiência a desenvolver as suas competências empresariais e digitais, e eventualmente procurando DW para se juntarem aos cargos de uma posição de gestão.

2. Organizações que formam pessoas com deficiência e os seus respetivos formadores (num sentido mais amplo: também conselheiros de carreira, treinadores, educadores).

3. Outros: associações de mulheres com deficiência;


4. Organizações de formação de formadoras, mulheres com deficiência proprietárias de empresas, associações de empresários, tomadores de decisão e outros neste campo.

As nossas saídas

1. VÍDEOS COM A STORYTELLLING

Sobre o sucesso das mulheres com deficiência que trabalham no seu dia-a-dia. Os vídeos terão o fator de motivação para as mulheres com deficiência e mostrarão a importância do empreendedorismo e das competências digitais de uma forma prática. Os utilizadores aprenderão também sobre a importância das redes sociais nos projetos, partilhando ideias com outras mulheres em cada país parceiro. Os vídeos serão utilizados como uma ferramenta para ajudar na compreensão teórica e prática dos conteúdos do curso, aumentando assim o interesse e envolvimento das mulheres com deficiência, melhorando os resultados da aprendizagem.

Como resultado destes resultados, as mulheres com deficiência refletirão sobre a importância de adquirir empreendedorismo e competências digitais.

2. WWW WEBAPP ABERTO E INTERACTIVO PARA O APOIO ÀS MULHERES COM DEFICIÊNCIA. A

A inovação deste resultado é mais do que o uso das TIC, cada vez mais os educadores encontram-se a desenvolver as competências digitais. Os professores com estas ferramentas vão poder incorporar as competências digitais do século XXI no ensino da formação e transmitir as mesmas competências às mulheres com deficiência.

Esta ferramenta auxilia a melhoria da inovação empresarial especialmente numa era pós-Covid, em que as mulheres terão de repensar muito das suas competências e atividades profissionais.

3. UM PROGRAMA DE PERCURSOS DE FORMAÇÃO MISTA PARA MULHERES COM DEFICIÊNCIAS.

Este programa de treinamento oferecerá estudos de caso, diretrizes, estratégia, ferramentas de monitorização, teste de avaliação, etc.

4. PACOTE DE GUIA DE PROGRAMAS PARA MULHERES COM DEFICIÊNCIA.

O principal objetivo do guia será fornecer informações focadas sobre o sistema proposto para empreendedores sociais digitais com base no modelo de sucesso das mulheres com deficiência.

O guia será estruturado em 2 partes:

1) Modelo conceitual para empreendedor social digital.

2) Um conjunto de melhores práticas “da ideia ao empreendedorismo”.

O desenvolvimento de competências empresariais para estas mulheres é muito importante para que elas possam organizar a sua vida profissional independentemente das suas limitações físicas.”